“Acionamos a polícia e tem filmagens de quem fez”, diz vice-diretor da Dired sobre ‘ameaças de massacre’ em escolas

Nos últimos dias remores ameaçadores de possíveis massacres em escolas públicas têm se espalhado e assustado, pais, estudantes, diretores e professores além de mobilizar as forças de segurança. Nesta quinta-feira, dia 05 de maio uma ocorrência do tipo foi registrada na Escola Estadual Manoel de Melo Montenegro em Ipanguaçu. De acordo com o vice-diretor da 11ª Dired sediada em Assú, professor Victor Mendes o responsável por propagar as supostas ameaças foi identificado e suspenso.

Em Assú há relatos de ameaças de massacre em unidades de ensino pertencentes a rede estadual. A Polícia tem feito rondas ostensivas com maior frequência diariamente nas proximidades dos prédios escolares e até o momento conforme fomos informados não há registro de qualquer incidente.

Em entrevista cedida à Rádio 89 e TV Assú neste dia 06, Victor Mendes anunciou as providências que já foram tomadas e declarou ter conhecimento de fatos semelhantes não só no Rio Grande do Norte, mas também em outras unidades da federação.

“Escolas de todo o Brasil em alguns estados especificamente São Paulo, Paraíba e Ceará também receberam as mesmas situações em suas instituições. Quando nós tomamos conhecimento acreditamos inicialmente que poderia ser uma brincadeira de mau gosto. Mas a título de oficializar e dar melhor seguridade ao trabalho nas escolas aos estudantes e as pessoas que lá estão, acionamos a polícia tanto a Civil quanto a Militar. As escolas têm todo o relatório dessas situações, tem as filmagens de quem fez, o Conselho Tutelar está acompanhando essa questão de modo social para que possa fazer as orientações com os estudantes e com as famílias. Entramos em contato com a Secretaria que acionou a Polícia estadual para investigar algo de modo criminal”.

Victor Mendes apelou “aos familiares e pais que têm seus filhos nas escolas que mantenham- se calmos pois a situação está amparada legalmente e judicialmente e no que cabe ao trabalho policial está sendo feito garantindo a segurança”.

Para o representante da Secretaria de Educação do Estado o momento é de “cautela, não de sensacionalizar”, e reitera que é sabido de todos que há na história recente do país “situações que ocorreram de massacre em algumas escolas e por memória tem receio de que isso aconteça”, mas que no momento tudo “está sob controle”.

anuncie

ar