Feiras agropecuárias devem movimentar R$ 500 milhões

O calendário anual do Circuito de Exposições Agropecuárias foi lançado nesta quinta-feira (24) e vai contemplar todas as regiões do Rio Grande do Norte. Depois de dois anos com atividades suspensas por conta da pandemia, a programação retoma com 25 eventos, a começar pela ExpoNovos em Currais Novos, na região Seridó, entre os dias 07 a 10 de abril. A expectativa é de que o calendário movimente R$ 500 milhões em negócios.

Além das tradicionais Festa do Boi, Fenacam e Expofruit, o estado passa a contar com sua primeira Festa do Cavalo, que será realizada de 12 a 15 de maio, no Parque de Exposições Aristófanes Fernandes em Parnamirim. Durante a apresentação do calendário, o secretário Guilherme Saldanha, da pasta de Agricultura, Pecuária e Pesca (SAPE), destacou a quantidade de exposições que serão realizadas e a importância dos eventos para os setores envolvidos.

“Estamos fazendo o maior calendário de exposições que o Rio Grande do Norte já realizou, consolidando nossa posição como o estado que mais promove exposições do Nordeste. Isso é importante porque temos vários pequenos criadores que estão muito longe de Natal e não conhecem as melhores genéticas. Vamos para todas as regiões do estado e será a oportunidade que essas pessoas terão de comprar um animal e melhorar os seus rebanhos de uma forma mais próxima de suas fazendas”, diz.

O circuito de eventos passará pelas cidades de Currais Novos, São Paulo do Potengi, Parnamirim, Lagoa Nova, Caicó, Apodi, Coronel Ezequiel, Parelhas, Caraúbas, Jandaíra, Cruzeta, Afonso Bezerra, Assu, Patu, Mossoró, São Gonçalo do Amarante, Lajes, Nísia Floresta, Pau dos Ferros, Upanema, Carnaubais, Parnamirim, Natal, Jardim do Seridó e Jaçanã.  

Considerando a movimentação financeira das feiras do setor previstas para este ano, a soma dos 25 eventos deve superar a cifra de R$ 500 milhões , segundo estimativas da Secretaria Estadual de Agricultura. 

“Estamos investindo cerca de R$ 4 milhões para executar esse calendário. Obviamente, a Festa do Boi é o maior evento, onde se tem uma movimentação de leilões de animais muito grande. Só com ela temos a estimativa de R$ 60 a 70 milhões para esse ano, mas temos outros polos como em Mossoró, Caicó e Lajes onde também queremos fazer grandes negócios”, ressalta Guilherme Saldanha.

O Governo do Estado anunciou R$ 4 milhões em investimentos para as feiras. Os recursos serão investidos por meio do Governo Cidadão, financiado através do acordo de empréstimo com o Banco Mundial. 

A governadora Fátima Bezerra (PT) reforçou a posição do Estado para ampliar circuito de eventos da agropecuária e fortalecer o setor. “Depois de dois anos com o circuito suspenso em virtude da pandemia, retomamos nesse ano para valer. Estamos ampliando os circuitos e vamos passar em todos os territórios do Rio Grande do Norte, cada vez mais motivados e confiantes no nosso desenvolvimento rural. Temos feito o dever de casa e conseguimos posicionar o estado em prol do crescimento, gerando emprego, renda e cidadania para a nossa população”, defende a governadora.

Parcerias

Representando a Associação Norte-Riograndense de Criadores (Anorc), o diretor Alexandre Chaves afirmou que o agronegócio está crescendo e o Nordeste tem tudo para crescer também. “Contamos cada vez mais com o mercado e sempre convocamos o empresariado do agro. Temos grande apoio do Governo e gostaríamos de ter um contato maior com as federações da indústria e do comércio para estarem presentes e investirem nessas festas que certamente trarão retorno”, comenta.

Por meio do Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária (Idiarn), onze empresas potiguares já receberam o selo Sisbi, que faz parte do Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (SUASA), responsável por padronizar e harmonizar os procedimentos de inspeção para garantir a segurança alimentar. Com esse instrumento, a venda de produtos de origem animal é permitida em todo o país.

Ampliar capacidade de gestão do setor agrícola

Presente no evento, o diretor técnico do Sebrae, João Hélio Cavalcanti, destacou a importância de ampliar a capacidade de gestão dos produtores. “Temos um desafio imenso. Além de aumentar a responsabilidade, precisamos aumentar os investimentos realizados nesses municípios. O Sebrae estará nesse circuito levando inovação, tecnologia, e mais do que isso, gestão para que os nossos produtores tenham uma sustentabilidade em seus negócios. Também é preciso elaborar estratégias para a inserção de nossos produtos no mercado”.

Alexandre Lima, secretário do Desenvolvimento Rural e da Agricultura Familiar (Sedraf), comemorou a integração do setor agropecuário com os editais voltados para a agricultura familiar. “Acabamos de lançar um edital que vai possibilitar que toda a rede hospitalar do RN tenha produtos da agricultura familiar, serão mais de R$ 8 milhões destinados para esse fim. Desses, R$1 milhão vai ser destinado para a compra de leite pasteurizado. Vamos comprar sete toneladas de queijo coalho. Isso é injeção de dinheiro dentro do mercado local e do interior. O Circuito de Exposições Agropecuárias reflete a pujança em termos da capacidade que o estado tem hoje de expressar suas potencialidades”, finaliza.

Gerente de negócios do Banco do Brasil, Shirley Castro falou sobre o propósito de chegar junto ao pequeno, médio e grande produtor rural com todas as  linhas de crédito à disposição dos produtores. “O BB já é o maior parceiro do agro no Brasil e temos esse papel e objetivo aqui no Rio Grande do Norte. Vemos esse calendário com muita positividade por esses motivos, de ampliar essa presença e parceria”. Ao todo, o Circuito conta com o apoio da Emparn, Emater/RN, Idiarn, Ceasa, Sedraf, AGN, Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Caixa, Anorc, Ancoc, ANCC, ABCC, Sebrae/RN, Faern e Senar.

anuncie

design grafico