Governo discute possibilidade de empréstimo de US$ 180 milhões com o Banco Mundial

A equipe do Projeto Governo Cidadão segue até a próxima sexta-feira (21) a missão que vai delinear a Fase 2 do Projeto de Desenvolvimento Sustentável do RN – Governo Cidadão. Nesta nova etapa, que pretende viabilizar US$ 180 milhões em recursos junto ao Banco Mundial, terá como foco central três eixos de investimentos: estradas, turismo e agricultura familiar. As discussões sobre o empréstimo foram iniciadas nessa segunda-feira (17).

A gerente executiva do Governo Cidadão, Ana Guedes, detalhou o projeto inicial, explicando que depois da semana de missão e trabalho em todas as frentes, juntamente com os especialistas do banco vai ser possível um maior alinhamento da proposta. “Esperamos que no fim das discussões ao longo da semana, possamos receber uma nota conceitual para delinear como serão aplicados esses investimentos, alinhando as referidas propostas aos objetivos do Banco Mundial”, afirmou. 

Ana Guedes ainda reforçou que os estudos que foram realizados durante a execução da fase 1 do Governo Cidadão passam a dar o contorno à Fase 2 e que “o objetivo geral dessa fase 2 é apoiar o Estado na implantação de infraestruturas regionais, inclusão produtiva e acesso a mercado pelos agricultores familiares e empreendedores do turismo”, detalhou Ana Guedes. 

“Teremos muito trabalho pela frente, queremos continuar transformado a vida dos norte rio-grandenses e, tudo dando certo, entregar todos os investimentos até 31 de dezembro de 2026”, disse a governadora Fátima Bezerra.

Caso o novo empréstimo junto ao Banco Mundial seja aprovado, os beneficiários diretos serão divididos nas seguintes categorias:

• 18 mil agricultoras e agricultores familiares diretamente;

• 36 mil pessoas, prioritariamente nos territórios do Alto Oeste, Sertão do Apodi, Açu-Mossoró, Potengi, Seridó e Trairi; 

• População de aproximadamente 100 mil pessoas, distribuída em cinco regiões turísticas que envolvem 37 municípios; e

• População residente na área de influência das rodovias implantadas ou reestruturadas, que envolvem cerca de 260 mil pessoas.

“Eu percorro esse Estado todo de carro. Não ando de avião. E eu vejo como estão nossas estradas. A população tem todo direito de reclamar. Vamos analisar e escolher esses trechos com muito cuidado e estratégias e faremos o mesmo trabalho que fizemos com a RN 233”, frisou a governadora Fátima Bezerra.

anuncie

design grafico