PMA Outubro Rosa

Lula quer Walter Alves para vice de Fátima nas eleições deste ano


As informações sobre a conversa de Lula com o Garibaldi Filho e Walter Alves apontam que estaria definida a aliança entre petistas e emedebistas no Rio Grande do Norte. Nessa composição, a governadora deve concorrer à reeleição, tendo Walter Alves (MDB) na chapa, como candidato a vice. 

As articulações para a chapa que terá a governadora Fátima Bezerra como candidata à reeleição tiveram essa nova etapa durante jantar do ex-presidente, em Brasília, com senadores e ex-parlamentares do MDB. Na ocasião, Lula conversou com Garibaldi Filho e Walter Alves. O ex-presidente reforçou que o PT deve firmar a aliança com o MDB no Rio Grande do Norte. 

Na composição, também haveria o compromisso de interlocutores do PT de contar com o PDT estadual na coligação e o ex-prefeito Carlos Eduardo ser o candidato a senador.

Garibaldi Filho, que permaneceu, ontem, em Brasília, disse ao blog do jornalista Heitor Gregório que o ex-presidente petista, que deve concorrer ao Palácio do Planalto nas eleições deste ano, e presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, a deputada federal paranaense Gleisi Hoffmann, trabalham na construção dessa chapa. “Lula e Gleisi querem Walter como vice de Fátima e estão trabalhando nisso”, disse Garibaldi Filho ao blog. O ex-senador, pré-candidato a deputado federal pelo MDB, conversou com o blog, que é hospedado na TN Online, sobre o jantar que participou nesta segunda-feira (11), em Brasília, com Lula (PT), na casa do ex-senador Eunício Oliveira (MDB-CE).

Ontem, o secretário chefe do Gabinete Civil, Raimundo Alves Júnior, confirmou que o diálogo sobre o fechamento da chapa majoritária que terá Fátima Bezerra com candidata à reeleição continua com o presidente estadual do MDB, Walter Alves. 

“Marcamos conversas na próxima semana, pessoalmente”. Posteriormente, o resultado desse diálogo será comunicado à governadora, a quem caberia a primazia de anunciar, oficialmente, a composição da chapa situacionista. 

Já o senador Jean Paul Prates (PT), que também participou da reunião na residència do Lago Sul com senadores do MDB e outros partidos, disse que o jantar foi “a oportunidade de trocar ideias com o candidato que é líder em todas as pesquisas para as eleições presidenciais de outubro. Foi um evento democrático e cheio de energia positiva”. 

“Fui um dos responsáveis pelos convites às lideranças políticas que participaram do evento e fico feliz com o resultado desse encontro”, disse Jean P. Prates, que relator ter o ex-presidente Lula conversado, individualmente, com cada participante, antes do jantar: 

“Ao final, houve um momento de falas em que Lula expôs a sua visão da atual situação política do Brasil e de como isso requer uma união em torno dos princípios democráticos, do Estado de Direito e da retomada consistente das política sociais e ambientais”.

Além de escutar sugestões para o seu plano de governo, segundo Prates, Lula “ouviu ponderações dos senadores quanto a temas sensíveis que podem ser explorados durante a campanha, para propositalmente gerar fake news, distorções, exageros ou desinformações. Com muita tranquilidade, respondeu e debateu com todos por mais de duas horas após o jantar, e demonstrou muita segurança no que chamou de “enfrentamento necessário” de algumas questões que fazem parte da pauta de costumes ou da pauta econômica”.

Garibaldi Filho também esteve, na tarde de ontem, visitando o plenário do Senado, casa que presidiu entre dezembro de 2007 e janeiro de 2009. 

O atual presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) cumprimentou o político potiguar: “Seja muito bem vindo à sua Casa, que sei que tem carinho incomum com o  Senado, é muito bom vê-lo nesta casa e ativo na política do país”.  Rodrigo Pacheco ainda saudou o deputado federal Walter Alves (MDB-RN), de quem foi colega no mandato que exerceu na Câmara dos Deputados.

Oposição deve lançar candidato na terça

O pré-candidato a governador apoiado por um bloco de partidos de oposição às eleições de outubro será anunciado na próxima terça-feira (19), logo após a Semana Santa, informou o pré-candidato a senador da República, ex-ministro Rogério Marinho, do Partido Liberal (PL), sem revelar qual será esse nome para enfrentar nas urnas a governadora Fátima Bezerra (PT), que tentará mais quatro anos de mandato em outubro.

O nome mais cotado é o do ex-vice-governador Fábio Dantas, que é filiado ao partido Solidariedade, e em virtude da demora em se colocar um pré-candidato para liderar a chapa majoritária oposicionista, vinha se dispondo a concorrer ao cargo de governador do Rio Grande do Norte.

Mesmo com as dificuldades de se chegar a um nome consensual – já foram cogitados o deputado estadual Tomba Faria (PSDB), o deputado federal Benes Leocádio (União Brasil) e o presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Ezequiel Ferreira (PSDB), dentre outros, o ex-ministro Rogério Marinho diz que “a oposição tem candidatos”.

“Nós estamos trabalhando para tentar unificar as posições. Hoje eu já estive com algumas personalidades do mundo político, à tarde estarei com outras, ontem estive com outras, e a ideia é no dia 19, após a Semana Santa, lançarmos a nossa candidatura”, avisou Marinho, numa entrevista à rádio CBN, na manhã de ontem.

No caso do anúncio confirmar a pré-candidatura a governador de Fábio Dantas, que foi vice-governador na gestão do ex-governador Robinson Faria (2015/2018), o Solidariedade retira a pré-candidatura do ex-prefeito de Olho d’Água dos Borges, Brenno Queiroga, que inclusive havia deixado cargo de confiança na administração do prefeito de Mossoró, Allyson Bezerra, para concorrer ao pleito majoritário e até havia se reunido, no dia 05, com o presidente estadual do União Brasil, ex-senador José Agripino, em busca de apoio ao seu projeto político.

Líder do Solidariedade na Assembleia Legislativa e pré-candidato à Câmara Federal, o deputado estadual Kelps Lima disse que o seu partido “tem uma posição muito tranquila e não tem conflito interno” com relação a mudanças de pré-candidaturas a governador do Rio Grande do Norte.

Lima disse que o ex-ministro Rogério Marinho vem conduzido todo o processo de negociações com os partidos, o próprio SD e mais PP, PTB, PSC, possivelmente o União Brasil e mesmo o PSDB, que conta com um deputados que fazem oposição e apoiam o governo estadual, como também conversaria, individualmente, com Brenno Queiroga e Fábio Dantas. 

“Não somos o problema, vamos continuar sendo a solução”, diz Kelps Lima, ao lembrar que já nas eleições de 2018, o SD teve candidato próprio a presidente, Queiroga, que teve como vice o delegado aposentado de Polícia Civil, Sérgio Leocádio, com apoio de outros cinco partidos.

Ex-prefeito diz que não faz política com sobrenome 

“Não faço politica por questão de sobrenome, faço com ideias e propostas”, disse o ex-prefeito de Natal e ex-deputado  estadual Carlos Eduardo Alves acerca de sua pré-candidatura a senador e do  deputado federal Walter Alves (MDB), como possível vice-governador em uma chapa majoritária liderada pela governadora Fátima Bezerra (PT), que tentará a reeleição este ano.

Presidente estadual do PDT, Carlos Eduardo respondeu à TRIBUNA DO NORTE  sobre  especulações de que nesse formato, a chapa majoritária seria “pesada” para a largada de uma campanha eleitoral, depois do prazo das convenções partidárias para homologação dos nomes de candidatos a cargos eletivos, que se encerra em 05 de agosto.

Para Carlos Eduardo, “pesada é a pseudo oposição” ao governo do Estado, que “até agora apresentou vários pré-candidatos e todos se recusaram” a concorrer a uma eventual disputa majoritária com candidatos da situação.

Carlos Eduardo também voltou a percorrer os municípios em busca de apoios políticos. No fim de semana esteve na região do Potengi, passando por Ruy Barbosa, Santa Maria e São Paulo do Potengi, no sábado (09). Um dia antes, esteve em Assu e no dia 02, havia ido a Currais Novos. 

anuncie

Reges - Sites para prefeituras