PESQUISA APLICADA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MICRORREGIÃO DO VALE DO AÇU: EDUCAÇÃO, MEIO AMBIENTE E CULTURA

11ª Diretoria Regional da Educação e da Cultura

A microrregião do Vale do Açu, no estado do Rio Grande do Norte (RN), é constituída por nove cidades, a saber: Alto do Rodrigues, Assú, Carnaubais, Ipanguaçu, Itajá, Jucurutu, Pendências, Porto do Mangue e São Rafael, totalizando uma área total de 4.756 km², o que corresponde a 9,06% de todo território do RN (CIDADE-BRASIL, 2021). Juntas, de acordo com o levantamento de 2020, feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), essas cidades somam o quantitativo de 155.193 mil habitantes, situados em um território de positivo potencial educacional, ambiental e cultural.    

           As cidades que constituem a microrregião do Vale do Açu têm rico potencial para o desenvolvimento de pesquisas em diversas áreas do conhecimento, sobretudo naquelas que melhor se ajustam às suas potencialidades, a saber: educação, meio ambiente e cultura. O desenvolvimento de pesquisas neste território, financiado por instituições públicas e de iniciativa privada, evidenciará potencial para o progresso do território, uma vez que, no atual momento, em virtude das ausências de investimento econômico e da formação humana, intensificadas pela pandemia, enfraqueceu os setores importantes para o avanço educacional, cultural e ambiental.

           No que tange à educação, o Vale do Açu, no ensino básico, regionalmente, é administrado pela 11ª Diretoria Regional da Educação e da Cultura (11ª DIREC), bem como pelas secretarias municipais de educação de cada município. Além destas instituições, há ainda um Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Rio Grande do Norte (IFRN), Campus de Ipanguaçu, que oferece formação técnica integrada no ensino médio e no ensino superior. Os cursos ofertados pelo IFRN-Campus de Ipanguaçu são: Agroecologia; Informática; Manutenção e Suporte em Informática; e Meio Ambiente; em nível técnico, e os cursos de Informática e Química em nível superior. No ensino superior, a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Campus Avançado de Assú, oferece os cursos de Ciências Econômicas; Geografia; História; Letras Português; Letras Inglês; e Pedagogia, bem como o curso de Pedagogia pelo Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR) e um Programa de Mestrado Profissional e Letras (PROFLetras).

           A 11ª DIREC, UERN-Campus Avançado de Assú e o IFRN-Campus de Ipanguaçu, tem mostrado à sociedade positivos trabalhos em áreas nas quais essas instituições têm propriedade e referência para realizar. No entanto, boa parte das ações ficam circunscritas aos espaços acadêmicos e instituições, uma vez que o financiamento das pesquisas e propostas não atende e não permite potencializar os trabalhos para um público maior e popular. Evidentemente, se melhor financiadas, as potencialidades do Vale do Açu impactariam em positivo avanço da microrregião que, há muito, encontra-se carente de evolução.

           O Vale do Açu é uma microrregião de grande potencial cerâmico, agrícola e mineral. No Vale do Açu está localizada a Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, construída na década de 80, atualmente a maior do estado do Rio Grande do Norte, oportunizando a irrigação de grandes áreas agrícolas que, consequentemente, atraem o interesse do capital multinacional. Este atrativo acarreta a chegada de grandes empresas na região que, em grande parte, pouco contribuem para o desenvolvimento comunitário e social, acentuando a exploração e a poluição de recursos naturais e culturais.  

           A cultura é sistema de vida e, portanto, no Vale do Açu, ela compila um grande e rico acervo de costumes, crenças, valores, patrimônios e histórias culturais de seu povo. Miscigenado por diversos povos: indígenas, africanos e europeus, o Vale do Açu possui hoje, no RN, um dos poucos acervos patrimoniais arquitetônicos do século XVIII e XIX ainda erguidos, mas com pouca preservação e conservação. Além disso, a herança cultural indígena e de remanescentes de quilombolas é muito forte, tendo, ainda, algumas comunidades rurais que guardam memórias das práticas e costumes desses grupos.

           Nesse sentido, por perceber e entender a importância de ampliar o trabalho científico em pesquisa aplicada, que melhor se ajuste à necessidade do Vale do Açu, para melhorar as potencialidades da microrregião, a 11ª DIREC, UERN-Campus Avançado de Assú e o IFRN-Campus de Ipanguaçu instituíram parcerias no intuito de buscar, por meio do diálogo com Governo do Estado do Rio Grande do Norte, junto à Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Norte (FAPERN), investimento para a aplicabilidade de pesquisas que, possivelmente, possam trazer maior qualidade de vida, educação e cultura para a população do Vale do Açu, idealizando, desse modo, que a microrregião seja, de fato, um vale de desenvolvimento educacional, ambiental e cultural.

anuncie

design grafico