sao joao assu

Rogério assume PL no RN e dobra número de prefeitos

O senador Rogério Marinho foi empossado, oficialmente, na presidência do Partido Liberal (PL) no Rio Grande do Norte, destacando o crescimento inicial da legenda, que praticamente duplica o número de prefeitos, com as 18 filiações anunciadas. “Aqui estão representantes de mais de 100 municípios, o que mostra a capilaridade, a força, a resiliência, de uma ideia e de uma semente, que foi plantada no solo potiguar, que cresceu e se fortaleceu, que deu fruto, sombra e flores e que permite que o Rio Grande do Norte possa sonhar com dias melhores”, disse.

O senador Rogério Marinho afirmou que “esse não pode ser um crescimento de soluço, episódico e momentâneo, por isso vamos fomentar cursos para que as pessoas entendam o que representamos, defendemos e como o que dizemos é o que eles acreditam”.

Rogério Marinho disse que “ninguém vai pra lugar nenhum sozinho, ninguém consegue apenas com a sua voz e com a sua força, fazer com que as suas ideias se tornem concretude, se materializem, passem a ter de verdade efetividade na vida das pessoas”.

Para o senador, “é importante estarmos unidos e conscientes de que neste momento de transição e de mudança, não aquele que imaginávamos, cada um de nós é chamado para manter acesa a chama, não desanimar, baixar a cabeça e não abandonar aqueles que pensam como nós pensamos. Não podemos desistir do Brasil e do Rio Grande do Norte”.

O senador Rogério Marinho saudou todas as lideranças políticas, deputado federais, estaduais, prefeitos, vereadores, que “representam partidos políticos irmãos, que têm o mesmo objetivo, traçam o mesmo itinerário e pensam parecido”, que vão estar com o PL “nas lutas que se avizinham”.

Marinho também declarou que o PL “não tem  interesse nenhum em nacionalizar uma campanha municipal no interior do Estado, porque não é a condição desse ou dessa liderança nacional que vai dar ao cidadão, aquele que mora no mais distante rincão do nosso Estado, a satisfação das suas necessidades mais comezinhas”.

Segundo Marinho, é o cidadão que “mora no sítio distante, que precisa do atendimento ambulatorial da saúde, da educação de qualidade,  que precisa de serviços sociais eficientes e tem esse respaldo através dos prefeitos”.

RESPONSABILIDADE

Como líder da oposição no Senado Federal, Rogério Marinho alertou, ainda, que “o Brasil não pode abrir mão do que conquistou arduamente, o que a sociedade brasileira conseguiu às duras penas”.

Por essa razão, segundo o senador, “essa responsabilidade é de todos, temos de conversar com as pessoas para explicar que o que defendemos é o que elas defendem, mas muitas vezes são levadas pela propaganda e pelas narrativas”.

Agora, o senador avisou que “temos de nos organizar para as eleições municipais”, onde serão debatidos os problemas dos municípios, “tratar das dificuldades que os municípios hoje têm em função da mudança de governo, que fez com que os recursos transferidos de forma obrigatória, rareassem e os programas de ação continuada não começassem ainda”.

Rogério Marinho denuncia que isso “fez com os critérios para que munícipes, prefeitos e deputados sejam recepcionados pelos ministérios deixem de ser técnicos e passem a ser de preferência política”.

SERVIÇO PRESTADO

Enquanto foi ministro do Desenvolvimento Regional no governo do presidente Jair Bolsonaro, o senador Rogério  Marinho lembrou que teve a oportunidade de servir ao Brasil e ao Rio Grande do Norte, mas em nenhum momento perguntou ao departamento técnico do MDR “qual era a bandeira política de qualquer município para liberar pagamentos que eles tinham direito”.

Essa era a orientação do presidente Bolsonaro, acrescentou o senador, porque “não servíamos a um partido ou a um espectro ideológico da sociedade, mas servíamos ao  Brasil e aos brasileiros, era a nossa responsabilidade”.

Com relação a administração estadual, Marinho disse que “há uma enorme expectativa” sobre o que o PL pode fazer, atualmente, porque o Rio Grande do Norte, “está numa situação, que sinceramente, faz com que todos tenhamos um sentimento de impotência e de constrangimento”.

O senador cita os exemplos das estradas do Rio Grande do Norte, e quando ultrapassam-se as divisas com a Paraíba e Ceará, “não precisamos olhar para as placas de sinalização para verificarmos que transpomos as divisas estaduais, basta verificar o estado das rodovias do Rio Grande do Norte e da Paraíba e Ceará, diferenças gritantes”.

SEM RUMO

Então, o senador disse que esses estados “são governados pela esquerda, o problema do Rio Grande do Norte não é ideológico, é de gestão, incompetência, de má gerência”.

Ao se referir ao pronunciamento do deputado estadual Luiz Eduardo (SDD) sugerindo a realização de ato público para cobrar do governo estadual a liberação das licenças ambientais para a engorda de Ponta Negra, o senador Rogério Marinho disse que, em fevereiro, assistiu a leitura da mensagem anual da governadora Fátima Bezerra (PT) na Assembleia Legislativa, mas não se pronunciou, a respeito. “Observei que todas as obras que ela citou, como obras que iriam realizar no seu governo, foram obras que comecei com o presidente Bolsonaro no Rio Grande do Norte”. 

Para o senador, o governo do Rio Grande do Norte “está sem rumo, sem norte e sem projeto, sem vontade, é um projeto de governo preocupado em perpetuar o poder, um estado que infelizmente está se caracterizando pela perda  de oportunidades”.

Na avaliação do senador, a oposição tem o dever de apontar os problemas e dizer “quem errou, quem continua errando, e quem não pode mais continuar à frente do Estado pra errar mais ainda e condenar as futuras gerações”. 

E acrescentou, que “não é uma tarefa fácil, mas é uma tarefa possível, com cada um que aqui esteve presente, e agradecendo a todos que fizerem com que o PL seja o que é hoje, como o deputado João Maia (que não foi ao evento), que durante mais de 20 anos conduziu os destinos do partido e que certamente tem o seu lugar do nosso lado e será muito bem-vindo para continuar no PL, mas  entendendo que como toda situação na nossa vida as mudanças acontecem”.

Políticos de outros partidos participam da posse

Parlamentares de partidos com o mesmo espectro político do PL prestigiaram a posse do senador Rogério Marinho como presidente da legenda liberal, como foi o caso do senador Styvenson Valetim (Podemos), que afirmou: “Primeira vez que eu subo em cima de um palanque. Então essa já é uma mudança em busca de um mesmo propósito que tanto eu como o Rogério, como os prefeitos, parlamentares como todos querem para o nosso país e para o nosso estado. Esse mesmo propósito é melhorar o nosso país e principalmente o nosso estado. É tirar das garras do atraso que ele vive hoje”.

O deputado federal Paulinho Freire (União Brasil), disse do simbolismo da posse de Marinho na presidência do PL, mas “vem fortalecer a sua liderança como maior líder do Estado na oposição, é uma liderança nacional, não é mais uma liderança só do Rio Grande do Norte”.

Já o deputado General Girão (PL) disse que o PL do Rio Grande do Norte vai contribuir para que o  partido ultrapassa a proposta do ex-presidente Bolsonaro, de fazer “mais de um quinto das prefeituras” nas eleições municipais de 2024 no país.

O deputado  federal Robinson Faria (PL) assumiu a primeira vice-presidência do PL no Estado, e declarou que o Rio Grande do Norte ofereceu ao país um político de “talento”, o senador Rogério Marinho, além de reconhecer o papel exercido pelo deputado federal João Maia quando exercia a presidência do PL “ao montar uma nominata, que deu a Brasília a presença de quatro deputados federais, foi um presidência de costurar uma chapa, e eu sou um deles”.

Robinson Faria disse, ainda, que foi presidente do PSD no Estado e sabe como é difícil fazer um partido crescer. “Não é uma missão fácil, mas Rogério tem talento suficiente e sobrando para transformar o PL, ao lado de colaboradores, no maior partido do RN”. Por estar em viagem, o deputado federal Sargento Gonçalves (PL) enviou representante ao evento, ao qual também estiveram os deputados estaduais Tomba Farias (PSDB), Luiz Eduardo (SDD), Terezinha Maia (PL), Taveira Júnior (União Brasil). O deputado estadual Gustavo Carvalho (PSDB) encontra-se em São Paulo fazendo exames médicos, mas enviou video, assim como o deputado José Dias (PSDB) também não pode comparecer. Ainda compareceu o deputado federal Benes Leocádio, o presidente da Câmara de Natal, vereador Ériko Jácome (MDB), dentre outros.

Partido Liberal

Comissão Provisória Estadual

Presidente – senador Rogério 

Marinho

1º vice-presidente – deputado 

federal Robinson Faria

2º vice-presidente – deputado 

federal Sargento Gonçalves

Secretário-geral – deputado 

federal General Girão

Secretário – Genildo Melo

1º vogal – deputado estadual 

Coronel Azevedo

2º vogal – Ivanildo Ferreira Lima 

Filho

3º vogal – Tássio Gurgel Veras

4º vogal – Adson Dias de Souza 

Martins

5º vogal – Daniel Marinho 

Fernandes

6º vogal – Anteomar Pereira da 

Silva

7º vogal – Cleiton Jácome da 

Costa

Fonte – Direção Estadual do PL

anuncie

design grafico